Home Atualidades EMÍLIA ALVES, ser poeta no feminino

EMÍLIA ALVES, ser poeta no feminino

Avaliação: / 0
FracoBom 

 

Apesar da chuva, a sala que nos esperava para a apresentação do livro "16 Autores" estava composta. Havia os intervenientes necessários para apresentar a público a coletânea de textos de "16 autores" encontrados entre poetas e prosadores, dos quais [com orgulho nosso] se incluí uma escritora [mais poetisa, por ora] de Almeirim. Referimo-nos a Emília Alves que, apesar de se sentir francófona - cultura e educação que também a ajudou a formar - se afirma naturalmente, almeirinense.

A apresentação na cidade, que decorreu no passado dia 26 de outubro no Auditório da Bibloteca Municipal Marquesa de Cadaval, surge uma semana após a apresentação no Palácio Foz [Lisboa] tido como lugar "neutro" quanto à origem dos seus autores mas fundacional para a importância da obra. Trata-se de "16 livros, que estão contidos numa só lombada" e que são, na sua essência, o somatório do trabalho de uns quantos escritores já publicados e lidos, e outros ainda [como a Emília, "Orquídea: beleza, luxúria, perfeição, pureza espiritual, refinamento." ] que vêem, pela primeira vez, publicado o seu trabalho.

 

Durante a apresentação foram lidos excertos da obra e alguns poemas numa dicotomia entre a mesa - presidida pelo Dr. Eurico Henriques, Vereador para a Cultura - e a plateia de amigos e colegas que se associaram ao evento. A José Luís Cordeiro, escritor e poeta [Santarém, 1963] coube a apresentação da forma e do conteúdo deste livro, livro que no seu conceito editorial se afasta do sistema promocional convencional.

 

Entre a plateia registamos, com agrado, a presença do senhor Presidente da Câmara, Pedro Ribeiro e do seu Vice-presidente.

 

Autor Al, outubro de 2015 - (fotografias de Rui Bexiga)

 

 

 

Share/Save/Bookmark