Home Atualidades VAGAMENTE MARÍTIMO, poemas de Paulo Serra

VAGAMENTE MARÍTIMO, poemas de Paulo Serra

Avaliação: / 2
FracoBom 

altTarde de sábado, 7 de maio. Chove, como se estivessemos na estação das chuvas. Não fora a paleta de cores primaveris e diriamos estar ainda no dealbar do ano. Auditório da Biblioteca Municipal de Almeirim praticamente cheio para a apresentação do livro de poemas "Vagamente Marítimo" de Paulo Serra. 

Uma obra publicada pelas Edições Vieira da Silva que dá expressão a um conjunto de poemas que falam do Mar e do Amor. Segundo o autor – docente e artista plástico, com obra feita – a presente publicação “surgiu de necessidade de afirmação de uma linguagem própria”, porventura latente e paralela ao seu percurso enquanto indivíduo interventor e preocupado [ou sensível, se preferirmos] com o que o rodeia. 

No decorrer da apresentação foram lidos alguns poemas que deram vida às palavras deste pintor (e pedagogo) que se aventurou na difícil arte da escrita poética.

Leia-se!

Share/Save/Bookmark